Você tem um Rh incrível em sua empresa?

Se tem: valorize mais do que nunca!

Se não: Seja rápido! Já passou da hora de ter o seu nessa crise.

O novo coronavírus chegou, é fato e está entre nós, apesar de ter parecido algo remoto que apenas atingiria a China, tão distante e tão acostumada a conviver com novas epidemias a cada cinco ou dez anos. Essa crise quebrou o equilíbrio (talvez imaginário) não apenas de um indivíduo, mas de todo um planeta, sob vários aspectos, sejam eles políticos, econômicos ou sociais.

Assim, as empresas, expostas ao risco iminente de perder sua saúde financeira e em muitos casos até desaparecerem, passaram a se reinventar, implementando “à fórceps” a tão falada transformação digital que a cultura organizacional, o budget  e tantas outras “desculpas aceitáveis”, não permitiram que acontecesse antes em condições normais de temperatura e pressão. E então, em meio a este caos, onde a volatilidade e a instabilidade são as únicas certezas, uma figura finalmente assume ou deveria assumir seu papel como protagonista: O RH.

E esse RH vai precisar ser incrível para que as mudanças necessárias sejam realizadas da melhor forma. Agora, velocidade e assertividade vão precisar andar coladas. Teremos poucas chances de errar, pois precisaremos mudar comportamentos e cultura num prazo muito curto.

É com muito orgulho que gostaríamos de citar o caso da Amanda, nossa Líder de Gente, Cultura e Performance. Ela tem alguns diferenciais muito peculiares, como por exemplo ter morado em diversos países e ser fluente em vários idiomas.  Carrega um background de cultura e diversidade ímpar. É muito importante reforçarmos aqui que o conhecimento não é nada sem ser aplicado e no caso dela, o seu principal diferencial foi utilizar dessa vivência de mundo, para entender melhor seus valores, objetivos, e principalmente, não se prender a dogmas.

Amanda começou conosco, ainda como recrutadora no Rio e seu diferencial foi rapidamente notado no inconformismo com a baixa performance, no olhar atento à expectativa de nossos clientes e na assertividade e qualidade em suas entregas. Lendo, estudando e aprendendo muito, Amanda traz consigo a busca incessante por entender todas as versões de um mesmo fato, visualizar os diferentes cenários e a competência essencial para esse momento que vivemos hoje que é: Adaptabilidade.

Especialistas acreditam que as organizações que almejam ser competitivas e ter sucesso no mercado atual, necessitam ter três características primordiais: serem adaptáveis, serem estratégicas e serem globais. Nosso RH tem nos mostrado que realmente esta tese faz sentido.

Amanda nos dá exemplo todos os dias, de que ser adaptável também é saber regular entre o acolhedor e o sangue-frio. Pessoas são os recursos mais poderosos e ao mesmo tempo sensíveis dentro da empresa e ter um RH que saiba se comunicar corretamente, que entenda tanto de gente quanto de processos e que faça com maestria a conexão entre a necessidade do negócio e a satisfação das pessoas é condição essencial. Sim, RH tem que entender de negócios, pois sem os negócios não temos as pessoas e o contrário também é verdade.

O RH ideal também precisa saber tomar decisões, principalmente no quesito estratégico. Aquele discurso subjetivo, político, pouco comprometedor, com base em suposições e inferências ficou definitivamente para trás. Decisões precisam ser rapidamente tomadas e os números são ferramentas para que escolhas sejam realizadas no menor tempo e risco possíveis. Aqui tomamos decisões com base em dados e nosso RH não apenas faz isso, como nos lembra o tempo todo, que este deve ser o nosso direcionador, quando por alguma razão nos desviamos dele.

Muito além da visão do seu mercado, se faz necessário que o RH seja global.  A possibilidade de olhar tudo que o mundo está fazendo nesse minuto e trazer para a nossa realidade, tropicalizando da melhor maneira possível é além de essencial, uma vantagem competitiva. Por isso, o conhecimento de diferentes idiomas, sobretudo o inglês é mandatório. Com a tecnologia, o benchmarking atravessou as fronteiras e é necessário ter a capacidade de se comunicar, traduzir e internalizar as melhores práticas e métodos.

Estes são os pilares de nossa área de RH.  Temos uma visão de qualidade nos processos, acompanhando as performances dos times de projetos e cobrando dos líderes planos de melhoria e desenvolvimento. É preciso focar e conhecer sobre pessoas (gente), entender que este indivíduo faz parte e é influenciado por uma cultura e ainda, que sua performance tem que ser avaliada através de indicadores claros, objetivos e mensuráveis.

A Amanda vem sendo nosso melhor exemplo de tudo que falamos e hoje temos o privilégio de trabalhar junto a ela. O mais incrível é que fazemos esse trabalho de gestão de pessoas quase inteiramente de forma remota. Hoje ela vive em Bruxelas, 4 horas à frente do nosso fuso, tem um filho pequeno, visita nosso escritório uma vez por trimestre e mesmo estando a milhares de quilômetros de distância, nunca esteve tão perto e presente na rotina dos nossos colaboradores.

Todas as vezes que encerramos uma chamada, com ela, pensamos ou dizemos a ela: Obrigada por você existir Amanda! Você faz diferença em nosso time! E você? Também é uma Amanda? Conhece uma Amanda em sua empresa?  Conta pra gente.

“Se tem qualquer tipo de assunto que você tem hesitação em falar com seu Head de RH, você está com a pessoa errada”

Por,
Henry Novaes – Partner
Carolina Coelho – Partner

Quer saber mais sobre o assunto? Entre em contato conosco:

[email protected]
[email protected]

Quer sabem mais sobre nossas soluções? Contate nosso time comercial:

[email protected]

Comments are closed.