Total Compensation e a mudança de mindset

Uma prática muito comum no mercado de trabalho da América do Norte e Europa vem ganhando mais espaço nas empresas do território nacional e demonstra ser bastante promissora, principalmente na maneira como as organizações atraem e remuneram os seus profissionais.

O principal destaque desse formato é o total de ganhos que compõe o pacote de remuneração do colaborador, nele, a avaliação vai muito além do salário mensal, e pode ser composta por um bônus (Participação nos lucros e resultados), pela distribuição de ações da Cia, além dos benefícios fornecidos pelo empregador, tais como: previdência privada, plano de saúde e odontológico, seguro de vida, vale alimentação e refeição. Todos são elementos que devem ser considerados como parte do pacote de remuneração total de um funcionário.

Esse modelo requer uma mudança de mindset por parte dos profissionais, especialmente do ramo de tecnologia. Segmento este, que possui a maior oferta de trabalho atualmente e em média os maiores salários. 

Nesse “novo” modelo, a remuneração fixa ofertada não é tão elevada comparativamente à média histórica de mercado, no entanto, o bônus é bem agressivo e supera o total de ganhos em relação ao salário fixo mais alavancado. 

Há vantagens mútuas nesse modelo, tanto para o profissional quanto para o empregador.  Esse racional deve ser levado em conta, inclusive, para se tomar uma decisão assertiva no momento de uma movimentação de carreira.

Considerando esse contexto, um salário mensal maior não reflete vantagens financeiras no médio e longo prazo, por isso, desvencilhar a tomada de decisão, muitas vezes pautada pela falsa impressão de ganho imediato é de suma importância. 

Quais os principais motivos dessa mudança?

O Brasil é detentor de uma das maiores cargas tributárias do mundo, e a folha de pagamento não está isenta desse grande vilão.

Não é nada vantajoso para as organizações elevarem demasiadamente o salário fixo, elas correm um sério risco de comprometimento no seu fluxo de caixa e de onerarem a sua folha de pagamento mensal. Há empresas em que o custo com a folha de pagamento representa até 60% das suas despesas totais.

Dessa forma, o pagamento do bônus e distribuição das ações possibilitam a desoneração mensal da folha e consequentemente, uma oxigenação no fluxo de caixa, é claro, sem gerar qualquer prejuízo ao colaborador.

Quais os impactos para os profissionais?

Quando avaliamos pela ótica dos profissionais, a grande vantagem é ter uma remuneração total mais atrativa e vantajosa, que comumente, pode estar atrelada a performance da empresa e do colaborador.

Nesse sentido, podemos destacar o maior desafio no que diz respeito a mudança de mindset, considerando que o mercado de trabalho está cada dia mais tecnológico e competitivo, terão cada vez mais destaque e oportunidades de desenvolvimento os profissionais que se predispõe a serem “sócios” ou terem atitude de dono no dia a dia da organização, isso inclui compartilhar o ônus e principalmente o bônus pelo atingimento dos resultados, afinal, o progresso da empresa naturalmente proporciona a possibilidade de crescimento aos seus colaboradores e retornos cada vez mais vantajosos aos mesmos.

Por,
Ricardo Rodrigues – Product Owner & Partner

Quer saber mais sobre o assunto? Entre em contato conosco:

[email protected]r

Quer sabem mais sobre nossas soluções? Contate nosso time comercial:

[email protected]

Comments are closed.