Tag

trabalho remoto

Browsing

Uma virada de chave para trabalhar de qualquer lugar e até mesmo se tornar autônomo

A pandemia causada pelo novo coronavírus trouxe mudanças significativas em nossas rotinas: o uso de máscara se tornou obrigatório, não sair de casa virou a maior recomendação para poupar vidas e a rotina nas empresas deu lugar a pequenos escritórios dentro de nossas próprias casas.

Esse último, por sinal, tem sido uma tendência que cresce a cada dia. O trabalho remoto, ou anywhere office, foi aderido por empresas de todos os portes, uma empreitada que a princípio parecia arriscada, mas que tem resultado em mais qualidade de vida para os colaboradores e também em mais economia para as companhias. 

Otimização de tempo e mais produtividade

Ao contrário do que empresários com mentes mais conservadoras imaginavam, o trabalho remoto trouxe excelentes resultados em relação à produtividade dos seus funcionários. Em uma pesquisa publicada no portal da revista Pequenas Empresas, Grandes Negócios (PEGN), cerca de 41% dos colaboradores de pequenas e médias empresas acreditam que se tornaram mais produtivos trabalhando na modalidade home office. 

Isso porque, com essa mudança, não há mais perda de tempo no deslocamento para o trabalho, fazendo com que seja possível organizar de maneira mais clara os compromissos ao longo do dia. 

A otimização do tempo permite a substituição do período no trânsito pela prática de exercícios físicos antes de iniciar o expediente, por exemplo, ou até mesmo aproveitar o tempo para realizar algum curso de aperfeiçoamento. A facilidade de já estar em seu “local de trabalho” ao acordar trouxe diversos benefícios.

Oportunidades no mundo inteiro

Outra vantagem que o trabalho remoto trouxe para os brasileiros é a possibilidade de se candidatar para vagas em outras cidades, estados e até mesmo países. Com o real desvalorizado, tornou-se vantajoso para empresas estrangeiras contratarem profissionais brasileiros para integrar seus times. 

A procura principalmente por profissionais do setor de Tecnologia da Informação tem crescido de maneira significativa nos últimos tempos, já que se trata de um profissional que custa menos para o setor financeiro das companhias internacionais, conforme informa a matéria publicada pelo jornal O Globo. Porém, em contrapartida, o profissional brasileiro também recebe seu salário em dólar ou em euro, podendo obter ganhos até 5 vezes maiores. 

Para quem tem fluência em um segundo idioma (ou está disposto a aprender), esse pode ser um excelente negócio, já que abre caminho para viver novas experiências mesmo sem sair de casa. E em um futuro pós-pandemia, até mesmo uma oportunidade de trabalho e vivência no exterior. 

 Necessidade de se reinventar durante a pandemia

E se a pandemia trouxe bons resultados em relação às oportunidades de trabalho remoto, por outro lado boa parte dos brasileiros perdeu seus empregos nesse período. Estima-se que cerca de 9 milhões de brasileiros ficaram desempregados apenas no primeiro trimestre de 2020, conforme matéria do portal Você S/A

Um número bastante expressivo e que gerou um impacto econômico extremamente forte. Enquanto parte dos profissionais encontrou como solução trabalhar em serviços temporários como freelancer, outros decidiram que esse era o momento de se reinventar. E com isso surgiram vários profissionais autônomos e empreendedores. 

Tornou-se comum acessar nossas redes sociais e nos depararmos com um colega vendendo brigadeiros ou bolos de pote, ou alguém terceirizando serviços em grandes lojas do varejo em busca de conquistar algumas vendas comissionadas. Nesse momento, se reinventar da melhor forma possível foi a palavra-chave para conseguir manter a qualidade de vida e pagar as contas. 

O sonho de ser um profissional autônomo

Além dos empreendedores, quem está conquistando cada vez mais espaço no mercado de trabalho são os profissionais autônomos. Representando ou não alguma empresa em específico, eles são capazes de conciliar o trabalho com uma rotina mais flexível, sem necessariamente seguir horários fixos, adaptando as necessidades do seu dia a dia e de quebra, obtendo os melhores resultados. 

O trabalho de forma autônoma cresceu cerca de 11,2% na pandemia, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), divulgada pelo IBGE. Diversos profissionais se encontraram em outras áreas, ou também optaram por se tornar MEI para complementar a renda.

Recrutamento autônomo: uma nova tendência

Entre as tendências que encontramos atualmente no mercado, com a abertura de novas vagas em diferentes segmentos, também surge a necessidade de atrair recrutadores para atrair esses candidatos. E por que não se tornar um recrutador autônomo?

Essa é a ideia da Headhunters, uma plataforma inovadora de RH em busca de conectar talentos e empresas por meio de recrutadores autônomos. 

“É uma excelente alternativa para quem já tem experiência ou quer mudar de carreira dentro do RH e deseja complementar ou tornar essa sua principal fonte de renda”, afirma Pedro Roma, head de marketing da Headhunters. 

A Headhunters surgiu com o objetivo de conectar empresas e talentos de forma 100% digital, contando com o apoio de recrutadores autônomos. Uma verdadeira reinvenção no mercado de RH!

Um excelente negócio para quem já possui experiência e deseja recrutar de forma independente, já que o recrutador recebe o projeto em que irá participar e de quebra, tem grandes potenciais de ganhos. Tudo isso é feito de maneira prática, digital e totalmente independente, garantindo a tão sonhada autonomia enquanto trabalha! 

E você, ficou interessado em se tornar um parceiro Headhunters? Então entre em contato com o nosso time clicando aqui.

Será um prazer ter você junto com a gente! 🙂 

EN PT ES