Tag

tecnologia

Browsing

Empresa disponibiliza vagas voltadas para o cenário tech

Aqui na Hprojekt, sentimos muito orgulho em ser a ponte para que grandes empresas encontrem excelentes profissionais. Pensando nisso, acreditamos que todas as oportunidades devem ser divulgadas em diversos canais. E para quem busca uma nova vaga ou recolocação no mercado de trabalho tech, não pode deixar de conferir os novos cargos disponíveis na Z-Tech.

A Z-Tech é um hub de tecnologia e inovação pertencente à Ambev no país, que nasceu para servir como uma espécie de “braço direito” da multinacional. Seu objetivo é melhorar e diversificar os processos em busca de soluções que facilitem o dia a dia de seus colaboradores e distribuidores por meio de sistemas de digitalização de seus negócios.

Entre seu público, podemos destacar as padarias, restaurantes e bares que possuem uma certa resistência ao mundo digital. Pensando em atender essa parcela de consumidores mais específica, a empresa conta com 3 startups: Donus (uma fintech com plataforma de serviços financeiros), Menu (um marketplace de food service) e Get in (aplicativo de ferramentas para gestão de reservas, fila de espera remota, cardápio digital, pagamento sem contato e delivery).

Novas oportunidades

Com uma demanda cada vez maior para atender esses pequenos e médios varejistas, a Z-Tech está em busca de novos profissionais para trabalhar nos cargos de desenvolvedor. São duas áreas de atuação com várias vagas abertas. 

Vale ressaltar que essas vagas serão responsáveis por atender a estrutura global de Z-Tech. Os profissionais, apesar de alocados no Brasil, irão responder para a liderança localizada nos Estados Unidos. 

Confira a seguir mais detalhes sobre as atividades e competências para cada cargo:

Desenvolvedor Node.js 

Para essa vaga, o profissional será responsável por liderar projetos em todas as suas fases, desde o desenvolvimento, teste, depuração, manutenção e documentação de componentes de software de acordo com as melhores práticas do Ciclo de Vida do Desenvolvimento de Software (SDLC). 

Também participa do processo de design técnico e conclui estimativas e planos de trabalho para tarefas de design, desenvolvimento, implementação e distribuição. Irá cuidar da infraestrutura de sistemas, incluindo engenharia, implementação e integração, serviços técnicos e suporte, comunicando-se com as equipes apropriadas para garantir que as atribuições sejam entregues com qualidade e de acordo com os padrões DevOps.

O trabalho poderá ser realizado remotamente e entre os benefícios estão Vale Alimentação, Vale Refeição, Gympass, desconto em farmácias, planos de saúde e odontológico, entre outros. 

Para saber mais detalhes sobre as competências desejadas, clique aqui.

Engenheiro DevOps

Entre as atividades, está a implementação da estrutura Z-Tech DevSecOps, treinar as equipes em suas principais áreas de competência relacionadas à SRE e aprender novas habilidades voltadas para a tecnologia, como nuvem, rede e sistemas operacionais com foco nos serviços Azure.

O trabalho será remoto e os benefícios são os mesmos citados na vaga anterior. 

Para saber mais detalhes sobre a vaga e quais são seus requisitos, clique aqui. 

A Hprojekt possui uma página voltada para diversas vagas em diferentes segmentos. Você pode conferir clicando aqui. Temos certeza de que uma das nossas oportunidades será perfeita para você. Inscreva-se e boa sorte!

Cidade do interior de São Paulo é considerado polo de inovação e tecnologia

Localizada no interior de São Paulo, a cerca de 230 quilômetros da capital, a cidade de São Carlos possui 250 mil habitantes, sendo o 13º maior município do estado, além de uma população flutuante de cerca de 30 mil universitários. Isso porque duas universidades importantes, como a USP, UFSCar e a FATEC São Carlos, possuem cursos que atraem alunos de diversos cantos do país para seus campus. 

Polo de desenvolvimento científico e tecnológico

Entre os cursos mais disputados entre os universitários, estão os das áreas voltadas para a tecnologia. São Carlos é conhecida desde sua fundação como um ponto regional industrial de referência, fazendo com que os setores de tecnologia e empreendedorismo ganhem cada vez mais força nos dias atuais.

De acordo com o G1, estima-se que as universidades locais colocam, em média, 300 profissionais da área de computação no mercado anualmente, já que a cidade concentra o maior número de pesquisadores com doutorado do Brasil: 2,5 mil, uma média 10 vezes maior que a média nacional de acordo com um levantamento realizado pela USP

Aumento da necessidade de mão de obra qualificada

São cerca de 50 empresas do setor, que empregam mais de mil e quinhentos profissionais. Com isso, diversas startups, centros de inovação, laboratórios de pesquisa e coworkings começaram a surgir na região. Sendo considerada uma espécie de “Vale do Silício brasileira”, a cidade se tornou o endereço certo para os apaixonados por tecnologia.

Isso faz com que os graduandos deixem de lado a ideia de morar em outra cidade após a conclusão do curso e permaneçam em São Carlos. E isso pode ser um excelente negócio, já que a necessidade de mão de obra especializada cresce a cada dia.

Por que “Vale do Silício brasileiro”?

Um verdadeiro polo de inovação e empreendedorismo, São Carlos recebeu o título de “Vale do Silício brasileiro”, por reunir grandes empresas e excelentes profissionais. Prova disso é a empreitada de dois profissionais que decidiram inovar, adaptando uma antiga fábrica de tecidos em um ecossistema para reunir startups pequenas e braços de grandes empresas em um só lugar. 

E o espaço já está muito bem ocupado: em seus 21 mil metros quadrados, é possível encontrar grandes nomes como Santander, Serasa, Movile, Mercado Livre, Ambev, Mapfre, Electrolux e Roche.

Qualidade de vida e oportunidade de crescimento

E para quem tem dúvidas sobre realmente valer a pena mudar de outra cidade, ou até mesmo de São Paulo para São Carlos, saiba que os índices de qualidade de vida do município são motivos de muitos elogios por quem ali habita.

Em pesquisa realizada em conjunto pela USP São Carlos, UFSCar e FATEC Jaú, São Carlos foi escolhida como a cidade que mais se destaca nos quesitos de saúde, educação e segurança. 

Além disso, as vantagens de viver em uma cidade do interior são inúmeras, já que além da tranquilidade e segurança que uma cidade menor proporciona, ainda há a facilidade de mobilidade, proximidade com a capital e o mercado de trabalho bastante aquecido. 

Oportunidades em São Carlos

E com todas essas informações sobre o “Vale do Silício brasileiro”, você já pensou em trabalhar na cidade? Se sua resposta for sim, saiba que estão disponíveis novas vagas para diferentes empresas dentro da área de talentos digitais.

A Hprojekt possui um banco com mais de 150 vagas nos mais variados segmentos em São Carlos e também em todo o Brasil. Você pode conferir todas elas clicando aqui. Quem sabe sua nova oportunidade não está aqui, não é mesmo? Inscreva-se e boa sorte!

Um olhar sobre novas tendências e o que podemos esperar do RH no futuro

A busca por inovação é uma constante. Com o objetivo de se destacar cada vez mais no mercado, as empresas buscam o que há de melhor no que diz respeito às tendências tecnológicas. E no setor de RH não seria diferente. Confira a seguir algumas das novidades para essa área:

Seleção Digital 

Segundo o relatório The Future of HR 2018, publicado pela Gartner, o investimento em tecnologia para contratar o candidato ideal pode reduzir em até 75% o arrependimento pós-contratação, já que um processo digitalizado pode filtrar as informações com o objetivo de encontrar o candidato perfeito. 

Existem várias alternativas para realizar este processo digitalmente, como  softwares de recrutamento, mídias sociais e marketplaces de talentos.

Automação 

A automação é essencial para tornar o RH cada vez mais estratégico e menos burocrático, e deve ser inserida cada vez mais nos processos diários de Recrutamento e Seleção.

Um estudo realizado pela Carrer Builder mostra que gerentes de RH que não automatizam completamente suas áreas, perdem em média 14 horas por semana realizando tarefas que poderiam ser resolvidas de maneira mais simples e prática. Entre alguns exemplos, podemos citar as folhas de pagamento, rastreamento de candidatos e onboarding.

People Analytics

O People Analytics é uma metodologia que analisa e coleta dados sobre os colaboradores para, assim, criar novas oportunidades de aproveitar ao máximo os pontos fortes e melhorar os pontos mais fracos. 

Com essa metodologia é possível ter informações que vão facilitar a tomada de decisões de recrutamento e seleção. É possível prever quais dos seus novos colaboradores terão o melhor desempenho em alguns anos ou quais deles podem deixar a empresa em pouco tempo, por exemplo.

Inteligência Artificial

A inteligência artificial pode ser utilizada para automatizar processos e realizar análises, o que futuramente será considerado um elemento quase obrigatório no RH. 

No recrutamento, por exemplo, a inteligência artificial pode ser usada para cruzar informações dos candidatos com o perfil ideal para a vaga, poupando assim o tempo de realizar essa pesquisa manualmente e, de quebra, aumentando a taxa de assertividade. 

E você, já está preparando para o futuro? Então fique de olho no nosso blog e confira diversos conteúdos que podem te ajudar a crescer nessa profissão!

A gestão de pessoas mudou muito nos últimos anos. Hoje, é possível recrutar com a ajuda de inteligência artificial, gerenciar equipes remotas e monitorar os resultados por meio de softwares autônomos. Todos esses avanços representam o chamado RH 4.0.

No entanto, muita coisa ainda vai mudar. Por exemplo, estima-se que 65% das crianças de hoje vão trabalhar em empregos que ainda nem existem. Isso não vai promover mudanças só na gestão de pessoas, mas em toda a organização. Logo, é preciso estar atento.

Nos tópicos seguintes, vamos explicar o que é RH 4.0, quais suas principais tendências e como impactam a empresa. Por esse motivo, continue a leitura com atenção!

Afinal, o que é RH 4.0?

Nos últimos anos, o setor que provavelmente mais passou por mudanças foi o RH. Deixou de ser um setor estritamente operacional, que cuidava somente das questões burocráticas e legais para se tornar um departamento estratégico e — o mais surpreendente — digital.

O termo RH 4.0 é uma alusão à quarta revolução industrial, também chamada de indústria 4.0. Em vista disso, é um setor adaptado às mudanças do mercado, que usa tecnologias digitais em seu benefício e contribui para o desenvolvimento humano e organizacional.

Esse novo RH não toma decisões com base na intuição, muito menos no “achismo”. Ele estrutura e processa grandes volumes de dados por meio de tecnologias de business intelligence (BI), a fim de extrair informações estratégicas e que levem até a alta performance.

Ou seja, é possível conceituar o RH 4.0 como o RH digital e adequado à quarta revolução industrial, que conta com grandes volumes de dados para tomar decisões estratégicas e acertadas, além de tecnologias de ponta. Assim, permite a melhoria da gestão de pessoas.

Quais as principais tendências do RH 4.0?

Até hoje, muita coisa mudou. Um exemplo simples é o uso de aplicativos e redes sociais para se comunicar com o time de trabalho, algo impensável há apenas uma década. Então, o que os próximos anos prometem? Quais são as principais tendências? Confira a seguir!

Novas formas de recrutamento e seleção

A contratação de novos funcionários é uma das principais atividades do RH, pois permite a entrada de gente talentosa e íntegra na empresa. No entanto, o próprio processo de seleção está mudando muito e apresenta fortes tendências para os próximos anos.

Será mais comum iniciar processos de recrutamento por meios digitais, fazer a triagem dos candidatos com softwares autônomos, realizar entrevistas em vídeo e enviar feedbacks com a ajuda de plataformas gerenciais. Ou seja, será um processo digital, de ponta a ponta.

Mineração de grandes volumes de dados

Há um grande volume de dados disponíveis e que podem ajudar a melhorar a gestão de pessoas. Dados sobre onde estão os profissionais talentosos, quais benefícios ajudam a retê-los na empresa e como eles organizam seu dia, por exemplo. Mas como usar esses dados?

É preciso contar com três coisas: coletar, estruturar e analisar grandes volumes de dados. Esse processo é chamado de Big Data ou People Analytics, e está cada vez mais acessível ao setor de RH. Ao minerar dados, é possível obter informações estratégicas e atuar com acerto.

Adoção de sistemas com inteligência artificial

Há muitas formas de definir Inteligência Artificial (IA), o mais importante é que ela busca similar a inteligência humana para realizar tarefas com maior precisão e agilidade. Estima-se que, hoje, 1/3 dos setores de RH já contam com algum tipo de IA.

A tendência é um uso generalizado de tecnologias dotadas de IA. Elas poderão conduzir processos, gerar relatórios e trabalhar com independência, deixando os profissionais de RH focados no que é estratégico e menos preocupados com as tarefas rotineiras.

Descentralização da estrutura organizacional

Ainda hoje, muitas empresas contam com uma estrutura organizacional rígida, baseada na ideia de “comando-controle”. Essa estrutura não é compatível com as empresas inovadoras e nem com os avanços em gestão de pessoas, que permitem um trabalho mais flexível.

Logo, outra forte tendência é a descentralização da estrutura organizacional. A diferença hierárquica será cada vez manos acentuada e os profissionais terão mais autonomia para trabalhar. Esse mudança é reforçada por tendências de trabalho remoto e home office.

Adoção de programas e filosofias de melhoria

Toda essas mudanças tornam o mercado mais competitivo e colocam em proeminência a necessidade de melhorar continuamente. Ao RH 4.0, não basta preservar o status quo — na verdade, esse é um caminho certo para o insucesso. É preciso querer melhorar sempre.

Em vista disso, programas e filosofias de melhoria contínua, bastante usados nas décadas de 60 e 70, período de transição da terceira revolução industrial, vão voltar com força. Esses programas serão adaptados para atender a um mercado mais rápido, conectado e global.

Qual a importância de se adaptar ao RH 4.0?

Ao longo de um dia, um adulto comum toma cerca de 35 mil decisões. Muitas dessas escolhas são inconscientes e outras são pensadas ao extremo, mas todas têm uma coisa em comum: determinam, em maior ou menor grau, a percepção de bem-estar e realização.

Os profissionais de RH também tomam muitas decisões no expediente, mas suas escolhas têm um impacto mais profundo: determinam o futuro do RH, a carreira dos profissionais e o êxito de toda a empresa. Portanto, é preciso decidir com acerto.

As mudanças do RH 4.0 permitem a construção de uma gestão de pessoas mais precisa e acertada em suas escolhas. Primeiramente, porque deixa as tarefas mais burocráticas à cargo de máquinas e softwares. Depois, porque podem contar com mais informações para fazer boas escolhas e com tecnologias de ponta para executar estratégias bem-sucedidas.

Em vista disso, a adequação ao RH 4.0 não é apenas importante. É essencial. Empresas que insistem em práticas obsoletas de RH são menos competitivas e mais propensas a falhar.

Agora que você está por dentro do assunto, lembre-se de que a adoção de novas tecnologias de recrutamento, a mineração de grandes volumes de dados, o uso de inteligência artificial, a descentralização do trabalho e a adoção de programas de melhoria contínua são algumas das maiores tendências. Ao aproveitá-las, poderá obter desempenho superior.

Gostou do nosso artigo e entende as mudanças do RH 4.0? Aproveite para nos seguir nas redes sociais — Facebook, LinkedIn e Instagram — e acompanhar nossas novidades.

Photo by Dylan Gillis on Unsplash

EN PT ES