Author

Time Hprojekt

Browsing

Conheça várias funções que a área oferece com salários incríveis

Atualmente, existem cerca de 20 milhões de brasileiros disponíveis para o mercado de trabalho, de acordo com uma pesquisa divulgada pelo IBGE. São profissionais de diversas áreas, com dificuldade de se inserir no mercado ou até mesmo conseguir uma recolocação. Porém, existe um segmento em específico em que a quantidade de vagas disponíveis é cada vez maior e, de quebra, faltam profissionais para preenchê-las. 

Estamos falando da área de Tecnologia da Informação. Os profissionais graduados e especializados são literalmente disputados por grandes empresas, que necessitam com urgência desse tipo de mão de obra. Para se ter uma ideia, estima-se que até 2024 sejam abertas cerca de 420 mil novas vagas de emprego somente nesse setor, de acordo com informações da Brasscom (Associação Brasileira de Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação).

Em contrapartida, a quantidade de profissionais que entram para o setor anualmente é relativamente baixa. Outro estudo realizado pela Brasscom mostra que apenas 46 mil pessoas se formam por ano, em média, nessa área. Um número discrepante, já que são necessários cerca de 70 mil profissionais para ocupar as vagas que são abertas anualmente. 

Sendo assim, podemos dizer que a área de TI é bastante interessante para quem gosta de tecnologia e busca se especializar. Emprego é o que não falta – inclusive com salários bastante atraentes. Quer saber mais a respeito? Então fique ligado que traremos a seguir quais carreiras de TI estão em alta e mais: a média salarial delas. Confira! 

Gerente de Data Science

A análise de dados vem sendo cada vez mais valorizada dentro das companhias, principalmente para auxiliar na tomada de decisões. Sendo assim, profissionais que trazem esse tipo de informação e que, de quebra, traçam novas estratégias em busca de soluções para melhorar a estrutura corporativa como um todo são altamente disputados no mercado.

Média salarial: entre R$19 mil e R$29 mil*. 

Data Protection Officer

Após a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) entrar em vigor, as empresas tiveram de mudar a forma de lidar com os dados internos e também de seus clientes. Com isso, surgiu a necessidade de contar com um profissional responsável por cuidar dessa parte, administrando e avaliando todos os dados que fazem parte da rotina da empresa. 

Além disso, esse cargo também presta o papel de interlocutor com o órgão regulador, a ANPD (Autoridade Nacional de Proteção de Dados). É preciso ter conhecimento de segurança da informação e conhecer a legislação vigente.

Média salarial: entre R$16 mil e R$21 mil*.

Programador

A programação é uma das áreas mais requisitadas em TI. Com diferentes possibilidades dentro dessa função, ela é focada principalmente em cuidar da experiência do usuário, realizando diferentes tarefas e trazendo novas soluções em busca de facilitar a vida dos clientes e melhorar a prática de consumo.

Média salarial: entre R$4 mil e R$12 mil*.

Desenvolvedor

Função também bastante popular na área, assim como o programador, o desenvolvedor é responsável por projetar e desenvolver novas soluções em sistemas de software, dispositivos móveis, entre outros. É ele quem cuida do processo de codificação e otimização em busca da melhoria de experiência do usuário. Ou seja, ele precisa estar sempre atento às necessidades do cliente de maneira geral.

Média salarial: entre R$3 mil e R$8 mil reais*.

Cloud Computing

Hoje, com inúmeros arquivos e aplicativos sendo utilizados, o uso da nuvem é essencial para não perder nada e, de quebra, otimizar processos sem ocupar espaços físicos. Para isso, é preciso contar com um profissional capaz de acompanhar e garantir que todo o processo seja feito de forma eficiente para todos.

Média salarial: entre R$5 mil a R$14 mil*. 

Gostou de saber mais sobre todas as profissões que englobam o profissional de TI? Então não esqueça de compartilhar esse artigo com quem você acredita que tem um grande potencial na área. 

Para saber mais sobre o universo tech, acesse o portal da Hub42, uma consultoria especializada em recrutamentos voltados para as áreas de tecnologia, um verdadeiro eixo entre talentos e sonhos. Entre em contato conosco e saiba mais! 😉

 

*Valores estimados.

Traga mais agilidade e precisão para o seu processo

A estruturação de um bom processo seletivo faz parte das atividades do departamento de recursos humanos de uma empresa. São eles os responsáveis por criar um processo de atração e seleção eficiente, de forma a serem contratados profissionais qualificados e que tenham um fit cultural com a empresa.

Hoje, o mercado de trabalho está cada vez mais exigente, competitivo e, ao mesmo tempo, dinâmico. Sendo assim, é necessário que as companhias sejam capazes de se adequar a esse tipo de mudança e tragam profissionais que se enquadrem nessa nova realidade de trabalho.

O processo seletivo é um momento bastante importante para a empresa, já que é por meio dele que novos talentos são selecionados para fazer parte da equipe. E para que ele ocorra da melhor forma, é preciso que seja muito bem estruturado, de maneira que sejam contratados profissionais que realmente façam sentido para os cargos disponíveis, além de realizar um bom planejamento em relação aos custos que essa nova etapa pode gerar.

Sendo assim, sabendo da relevância desse momento, selecionamos 7 dicas para realizar um processo seletivo justo e eficiente. Confira a seguir!

1- Planejamento é a palavra-chave 

Antes de qualquer coisa, o mais importante é estabelecer um bom planejamento.  Reúna os gestores responsáveis pelas áreas em que as vagas serão abertas, entenda mais sobre as necessidades, estabeleça junto com eles as etapas do processo, as competências exigidas para os cargos e seus salários. Assim, você começa o processo já com todas as informações em mãos. 

2- Faça uma boa divulgação das vagas

Após traçar o perfil dos candidatos em conjunto com os gestores, é preciso iniciar o processo de divulgação das vagas. Descreva de maneira clara e objetiva as funções de cada cargo, além de trazer mais detalhes sobre a empresa. É importante mostrar mais sobre a organização para que o candidato se sinta realmente atraído em integrar o time. 

Além disso, você deve escolher bem o canal de comunicação para encontrar o profissional ideal. Não basta apenas utilizar um portal de vagas, é preciso ir além: utilize outras plataformas para ver e ser visto e mostrar-se disponível para conhecer mais sobre cada candidato.

3- Hora da triagem

Esse é o momento de filtrar os currículos recebidos para fazer uma espécie de eliminatória. Muitas vezes os currículos enviados infelizmente não preenchem os requisitos necessários, então entrevistá-los tomaria um tempo que pode ser utilizado analisando outros candidatos que façam mais sentido para as vagas.

4- Realize uma pré-entrevista

Aqui, é o momento de reunir os candidatos que mais se destacaram para uma entrevista. Ela pode ser feita em grupo, com alguns testes de habilidade que tenham a ver com as competências exigidas nas vagas disponíveis. Com isso, é possível realizar mais uma filtragem para a próxima etapa. 

5- Faça a primeira entrevista individual

Chegou a hora da primeira conversa entre o candidato e o recrutador. Esse deve ser um diálogo mais descontraído, para conhecer melhor o candidato, ouvi-lo falar de suas experiências anteriores e quais são suas metas e objetivos a longo prazo. Com isso, é possível avaliar se existe um fit com a vaga e com a empresa para ter a entrevista final com o gestor.

6- Entrevista final 

A entrevista final deve ter a participação do gestor, para que o candidato saiba que o mesmo está a par de todo o processo e que ele está entre os finalistas. Aqui, já com uma boa coleta de informações realizada previamente, é o momento de deixar um diálogo mais “livre” entre gestor e candidato, para que eles possam se conhecer melhor. 

7- Informativo de aprovação

Sem dúvidas, esse é o momento mais importante (e feliz!) para o candidato: o aviso de aprovação da vaga. Sendo assim, isso deve ser feito com o máximo de alegria e receptividade por parte do recrutador.

Além disso, é nessa hora que devemos trazer todas as orientações: qual a data de início, o salário proposto, benefícios, qual será a modalidade de trabalho (presencial, híbrido ou 100% remoto) e se colocar à disposição para qualquer esclarecimento que for necessário. 

O encantamento do candidato deve ir muito além do processo seletivo: ele deve continuar mesmo após a aprovação, recebendo todo o respaldo necessário para que se sinta bem-vindo e acolhido pela empresa. Um ambiente em que o profissional já se sinta parte dele desde o início faz toda a diferença para que ele também se sinta motivado a dar o seu melhor. Assim, todos saem ganhando! 🙂

Gostou das dicas? A Hprojekt é especializada em recrutar os melhores candidatos para as maiores empresas do mercado. Quer saber um pouco mais sobre a nossa forma de trabalhar? Entre em contato conosco. Será um prazer atendê-lo e sanar todas as suas dúvidas!

 

 

  

 

 

 

 

 

Confira nossas dicas e garanta aquela tão sonhada vaga

Chegou o grande momento: você recebeu aquela ligação tão esperada para agendar uma entrevista de emprego para os próximos dias! E depois de toda a adrenalina que essa situação proporciona, começam as dúvidas: qual seria a melhor forma de agir durante a entrevista para demonstrar confiança e conquistar aquela vaga de emprego tão disputada? 

Demonstrar confiança é muito importante para que o recrutador sinta que você está preparado e seguro de suas afirmações, de forma que possa confiar em você e no seu potencial de trabalho. Com essa segurança, será muito mais fácil ser considerado(a) uma opção para preencher o cargo disponível. 

E pensando nisso, queremos ajudar a tornar a sua experiência em algo bastante tranquilo e proveitoso, de forma que você se sinta preparado para encarar qualquer desafio – e entrevista também!  Confira a seguir, algumas dicas valiosas para manter a postura e se preparar para o grande momento em que você for avaliado para a vaga dos seus sonhos:

Respire fundo

Você sabia que respirar da maneira correta pode auxiliar na melhora da ansiedade? É o que afirma o estudo publicado pela BBC. O ato de “respirar melhor”, ou seja, realizar respirações mais lentas e profundas trazem uma sensação de relaxamento para o cérebro, diminuindo a ansiedade e até mesmo riscos de aumento de pressão arterial e depressão. 

A prática de exercícios respiratórios vem se mostrando um excelente aliado para manter a calma e também a disposição durante o trabalho. Exercícios como o mindfulness, que consiste em uma técnica de trabalhar o pensamento e a respiração para ajudar a pessoa a focar no momento presente, são uma ótima solução para espantar o medo e se sentir ainda mais confiante durante uma entrevista.

Pesquise sobre a empresa

Nós só podemos dizer que nos identificamos com algo quando temos conhecimento a respeito do assunto, certo? E para estar ainda mais confiante na hora de responder o recrutador e/ou o gestor responsável pela entrevista, nada melhor do que demonstrar que está a par dos assuntos da companhia. 

Esse é um claro sinal de interesse: estude sobre a empresa, entenda suas atividades, seus valores e quais são seus compromissos. Aproveite para demonstrar também a sua vontade em fazer parte do time para agregar ainda mais nos processos da organização. Isso faz toda a diferença!

Ensaie previamente suas respostas

Apesar de cada entrevista ser de um jeito, a base é sempre a mesma: trata-se de uma conversa entre um gestor e um candidato. Por isso, algumas perguntas se tornam até um padrão, independentemente da área de atuação. Sendo assim, aproveite o período pré-entrevista para ensaiar quais respostas você daria para algumas perguntas mais tradicionais. Assim, você se sentirá mais seguro(a) quando esses questionamentos serão feitos na prática. 

Seja o seu melhor amigo

Todos possuímos qualidades e defeitos, isso é algo que faz parte do ser humano. E durante uma entrevista, é comum ser questionado a respeito disso. Ao mencionar suas qualidades, exalte o que há de melhor em você e aquilo que você acredita que pode te auxiliar na entrega de um bom trabalho. Quando falar dos defeitos, não minta a respeito, mas mostre que está trabalhando para melhorar. Demonstrar iniciativa para melhorar como indivíduo e também como profissional poderá abrir muitas portas para você.

Não se esqueça de ser pontual

Uma pessoa que se atrasa para a entrevista de emprego pode aparentar um certo desleixo para os empregadores, além de não passar a imagem de um profissional confiável. Afinal, se ele se atrasar para a primeira entrevista, como será sua rotina com as obrigações do dia a dia?

Salvas algumas exceções (carro quebrou, transporte público atrasou, chuva, queda de conexão da internet), é muito importante estar preparado para qualquer adversidade que possa ocorrer. Dedique-se a evitar imprevistos e seja o mais pontual possível. 

Foque também na linguagem corporal

Durante uma entrevista, todo detalhe conta. No caso de uma entrevista presencial, olhe nos olhos do entrevistador, mantenha a calma para dar suas respostas e evite gesticular ou se mexer demais. Isso pode dar indícios de nervosismo, e não queremos causar essa impressão! 

Agora, no caso de entrevistas feitas online, foque em escolher um ambiente com boa iluminação e boa captação de áudio, para que tanto o entrevistador possa ouvir bem as suas respostas, quanto você ouvir as perguntas dele corretamente, evitando possíveis ruídos de comunicação que podem prejudicar sua performance.

Acredite em si mesmo

E por último, mas não menos importante: acredite em si mesmo. Você tem sim, capacidade de alcançar aquele tão sonhado emprego. Quando utilizamos a fórmula da dedicação, do empenho e do estudo, não tem como dar errado! Então acredite em você, mostre que você é capaz e que está pronto para viver novos desafios e solucioná-los todos os dias. Um profissional esforçado e proativo é tudo o que as empresas precisam. E você pode ser esse profissional! 

 

Gostou das dicas de hoje? Temos certeza de que elas são capazes de ajudar você a se tornar cada vez mais confiante e se sentir muito melhor durante as entrevistas de emprego.

Lembre-se: a entrevista é uma conversa, onde os entrevistadores querem saber mais sobre você e o que você pode acrescentar para a empresa. Não sinta medo. Apenas esteja seguro e seja você.

Se você está em busca de um novo estágio, trainee ou recolocação profissional, a Newik está pronta para te ajudar! Acesse o nosso portal de vagas, confira todas as oportunidades disponíveis e boa sorte! 😉

 

Modalidade de contratação pode ser a solução para um cenário econômico de incertezas

Quando falamos sobre terceirização, logo nos vem à mente funções em áreas como limpeza e segurança, afinal, eram as áreas que permitiram esse tipo de contratação no passado. Mas com a mudança na Lei 13.429/2017, foi aberto um leque de possibilidades, onde atividades-meio e atividades-fim podem ser terceirizadas. Mas afinal, o que engloba a terceirização?

A terceirização é o ato de contratação de uma empresa para realizar determinados serviços por parte de uma outra empresa contratante. Ou seja, a empresa contratada será responsável por fazer a intermediação do serviço e cuidar de todo o processo, enquanto o trabalhador terceirizado prestará seus serviços para a empresa contratante. 

Vale ressaltar que, ao contratar uma empresa responsável pela terceirização, o objetivo é que a contratada seja responsável por todos os trâmites burocráticos que envolvem esse processo, sendo responsável e lidando com a parte técnica e jurídica em relação ao colaborador que será intermediado por ambas as empresas.

Vale a pena optar pela terceirização?

Para as empresas, o processo de terceirização pode ser excelente para a estratégia de negócios. Isso porque estamos vivendo um ciclo de grandes mudanças, já visualizando o fim da pandemia, porém com um futuro ainda bastante incerto, principalmente se tratando do cenário econômico do país.

Sendo assim, é interessante contar com uma modalidade de contratação que não exige vínculo empregatício entre a empresa contratante e o profissional, gerando menos prejuízos em caso de dispensas e também cortando custos na folha de pagamento. Além disso, terceirizar as atividades da companhia pode tornar os processos mais ágeis e eficientes, auxiliando as etapas de produção e aumentando a qualidade de entrega.

Quais são as vantagens desse modelo?

Além da melhoria da produtividade, conforme já citamos acima, também podemos mencionar a capacidade de contratar mais profissionais qualificados em cada área, em busca da otimização de resultados; auxilia na retomada de crescimento econômico e produtivo de maneira geral e de quebra, auxilia na redução de processos e garante uma segurança jurídica maior tanto para a empresa, como para os trabalhadores. 

Quais são os direitos assegurados por lei para os colaboradores terceirizados?

Nesse caso, toda a responsabilidade em relação aos direitos do colaborador são da empresa terceirizada. Porém, devem ser seguidas à risca para garantir a segurança do trabalhador e também da empresa contratante. 

Sendo assim, ele precisa garantir todos os direitos previstos na legislação trabalhista, ou seja, registro em carteira, salário compatível com colaboradores da mesma área, hora extra remunerada, benefícios de Previdência Social e FGTS, 13º salário, entre outros. 

Já por parte da empresa contratante, é essencial que seja fiscalizado o cumprimento de todas as obrigações trabalhistas e também previdenciárias. Isso porque, caso a empresa terceirizada não cumpra com suas obrigações corretamente, esses pagamentos podem se tornar de responsabilidade da contratante. 

Posso terceirizar serviços sem medo?

Sim. Com a mudança na legislação, as atividades-meio e fim estão liberadas para essa modalidade de contratação. Sendo assim, ao contratar colaboradores por intermédio da terceirização, além de auxiliar na movimentação da economia, sua empresa estará garantindo mais empregos, melhoria na qualidade dos produtos e serviços, aumentando a competitividade entre o mercado brasileiro e fazendo a economia girar. 

A prestação de serviços é um dos mercados que mais emprega no país, gerando emprego e renda para milhares de brasileiros que tanto precisam nesse momento de retomada do cenário econômico. Sendo assim, vemos que são diversas vantagens ao optar por essa modalidade de contratação.

A empresa certa para realizar esse tipo de serviço

Mas é claro que é preciso ter muita atenção na hora de escolher a empresa responsável por esse processo de contratação terceirizada. A Hprojekt Outsourcing é referência em contratações terceirizadas, conectando os melhores profissionais com as maiores empresas de forma prática, eficiente e segura para ambas as partes. 

Se interessou em trazer esse modelo de contrato para dentro da sua empresa?

Entre em contato conosco agora mesmo clicando aqui. Será um prazer ajudar o seu negócio a alavancar cada vez mais!

Saiba como chegar ainda mais longe na profissão

A aceleração dos processos digitais vem aumentando de maneira bastante significativa nos últimos anos. Isso se justifica com o fato das pessoas optarem por realizar boa parte das suas atividades diárias pelo computador, celular ou tablet ao invés de utilizar processos presenciais e/ou mecânicos. 

Podemos notar essa mudança com base em simples tarefas diárias: as idas ao banco com direito a filas intermináveis deram lugar a poucos segundos dentro do aplicativo que permite pagar contas, enviar dinheiro para a poupança e realizar transações bancárias. Bateu aquela fome e não tem nada na geladeira? Basta abrir o celular e escolher entre as inúmeras opções de restaurantes disponíveis em diversos aplicativos de refeições. Precisa de roupas novas, mas não quer encarar um shopping lotado? As lojas dão a opção de comprar online e receber em casa. 

Tudo isso otimiza o nosso tempo e traz mais comodidade para nossas vidas, sem sombra de dúvidas. Mas vale lembrar que para todos esses aplicativos e processos virtuais rodem de maneira satisfatória, é preciso contar com um profissional altamente capacitado. 

E é a partir daí que os programadores entram em cena. Essa profissão, em profundo crescimento nos últimos anos, são os responsáveis por tornar a nossa vida mais prática – e também mais divertida (já que os joguinhos de celular que tanto gostamos também contam com uma mãozinha deles)! 

Para os profissionais de programação, esse aumento de demanda (cerca de 100% a mais somente no em 2020, de acordo com algumas pesquisas) é excelente para alavancar ainda mais a carreira. Mas como proceder em relação a isso? O que pode ser feito para crescer nesse meio? Pensando nisso, trouxemos cinco dicas valiosas para você que deseja uma carreira sólida como programador(a). Confira! 

1 – Não deixe de estudar

O maior erro que um profissional pode cometer é achar que já sabe o suficiente. Como dizem os mais velhos “conhecimento não ocupa espaço”, então por que não ampliar seus horizontes e ir em busca de mais aprendizado? Principalmente quando se trata de programação, sempre há mais alguma coisa para aprender. 

Novas linguagens de programação surgem a todo momento. Se você já possui um amplo conhecimento em Java, por exemplo, que tal aprender um pouco mais a respeito de PHYTON ou de C#? É claro que saber todas as linguagens é uma tarefa árdua, mas quanto mais você souber, mais você será capaz de evoluir e ganhar espaço no mercado de trabalho. 

2- A prática leva à perfeição 

Mesmo trabalhando constantemente com os códigos, pode ser que alguns causem uma dificuldade maior na rotina de trabalho do que outros. Sendo assim, o ideal é ir além do copiar e colar, Utilize os códigos efetivamente, faça algumas modificações e melhorias para seguir trabalhando a mente e adquirir ainda mais prática durante o trabalho. 

3- Aprenda inglês

Além do universo da programação ser majoritariamente nesse idioma, o que já exige um certo conhecimento da língua inglesa, estamos vivendo um novo momento no mercado de tecnologia no país. Diversas empresas estrangeiras notaram no Brasil um polo de grandes profissionais tech, onde boa parte desses especialistas são chamados para trabalhar em grandes companhias internacionais.

Mas para isso ocorrer, é crucial saber pelo menos de forma intermediária se comunicar em inglês, já que esse tipo de trabalho exige que o profissional se reporte para gestores que raramente falam português. Para isso, invista em um bom curso de idiomas, prepare a mente para ler livros ou assistir séries e filmes em inglês ou até mesmo (caso seja possível) realizar um intercâmbio de alguns meses em um país de língua inglesa. 

O investimento pode parecer alto, mas os ganhos que esse conhecimento proporciona fazem valer a pena (quando o emprego na multinacional chegar, não esqueça de nos agradecer por essa dica tão valiosa 😉 rs)! 

4-  Utilize a lógica de programação

Para que o sistema funcione perfeitamente, é muito importante trabalhar com a lógica de programação. Ela trará o cálculo necessário para uma boa estruturação. A programação está universalmente baseada nela e também na estrutura de algoritmos. 

Sendo assim, é muito importante estabelecer uma linha de raciocínio para escrever o código, fazer a elaboração do algoritmo e fornecer o fluxograma de forma prática. Isso auxilia no dia a dia do programador para uma rotina sem perda de tempo. 

5- Investir em Soft Skills é essencial!

E por último, mas não menos importante – pelo contrário, trata-se de algo MUITO importante – você deve investir em soft skills. Isso porque a cada dia os valores das grandes empresas estão embasados em ter em suas equipes pessoas que estão preparadas para lidar com os desafios da rotina de trabalho, mas que sabem que precisam trabalhar em grupo para as tarefas fluírem.

Sendo assim, lembre-se sempre de ser um profissional disposto a aprender, a ouvir e principalmente, a ajudar seus colegas de trabalho. Compartilhe seu conhecimento, traga suas ideias, ouça as sugestões de outros membros da equipe. Isso é crucial para evoluir não só na carreira, mas também como ser humano. Um bom profissional, com humildade e proatividade é o profissional perfeito para cargos de liderança, não se esqueça disso! 

 

Gostou das dicas do artigo de hoje? Então curta, compartilhe e envie para aquele(a) amigo(a) programador(a) que está afim de alavancar a carreira! Quem sabe ele não decola com esse nosso empurrãozinho! 😉

Para mais dicas e informações sobre o mundo tech no RH, não deixe de conferir o portal da Hub42. Esperamos por você!

#ProudAtWork: orgulho, conscientização e respeito

O mês de junho foi escolhido para celebrar o mês do orgulho LGBTQIA+. Mas você sabe qual foi a razão por trás disso? Sim, existe uma história que explica o porquê deste mês ser tão especial para o movimento! E além de contá-la, traremos mais um compilado de informações relevantes em busca de conscientizar a todos. Vamos conferir?

A Rebelião de Stonewall Inn

Na noite de 28 de junho de 1968, policiais realizavam vistorias em bares de Nova Iorque. Naquela época, a homossexualidade era vista como um crime. Ao entrarem no bar voltado para o público gay chamado Stonewall Inn, os policiais começaram a prender os frequentadores do local. Porém, os gays, drag queens e travestis presentes decidiram se unir contra a força da polícia e mostrar que não iam mais tolerar o preconceito e agressões por conta de suas orientações sexuais. 

A manifestação continuou no dia seguinte, reunindo cada vez mais pessoas. No total, foram seis noites de protestos, de acordo com informações do UOL. Com isso, nascia o movimento de liberação gay, que foi o pontapé inicial para diversos protestos necessários ao redor do mundo.

O ativismo LGBTQIA+

Para entendermos um pouco mais sobre a importância do Orgulho LGBTQIA+, precisamos saber um pouco mais a respeito dos movimentos sociais realizados. Seu maior objetivo é promover a equalização dos direitos, além de combater a violência e a discriminação social contra os membros da comunidade.

Além disso, visam lutar a favor da igualdade, inclusão, reconhecimento das relações homoafetivas e aceitação da diversidade sexual e de gênero. Uma tarefa que deveria ser simples, mas que infelizmente ainda encontra preconceitos advindos de uma sociedade com pensamentos retrógrados. Mas nós podemos mudar essa realidade, com informação e respeito! 😉

Mas afinal, qual o significado de cada letra por trás de LGBTQIA+?

Essa é uma dúvida bastante comum, mas estamos aqui para solucioná-la! 

  • Lésbicas: mulheres que sentem atração por outras mulheres, seja de forma sexual e/ou afetiva.
  • Gays: homens que sentem atração sexual e/ou afetiva por outros homens.
  • Bissexuais: pessoas com atração por homens e mulheres, tanto sexual, como afetiva.
  • Transgênero: trata-se de uma pessoa que não sente identificação com o seu gênero de nascimento. 
  • Travesti: também incluso no T, principalmente no Brasil, travesti são pessoas que se dizem transfemininas, que possuem inconformidade em relação ao padrão cis imposto pela sociedade.
  • Queer: pessoas que se sentem parte do tradicional padrão heteronormativo. Não se identificam nem como homens, nem como mulheres.
  • Intersexo: são pessoas que não se encaixam no binário conhecido como sexo feminino e sexo masculino por diferentes questões biológicas, hormonais, genitais, entre outras possibilidades.
  • Assexual: alguém que não sente atração sexual por outras pessoas.
  • +: O + representa pessoas não-cis que não se consideram trans, ou não-binárias, ou agênero, além detodas as outras orientações que não são heterossexuais.

Recentemente, foram atribuídas novas letras para a sigla:

LGBTQIAPN+

Nesse caso, o P representa Pan, que são pessoas que sentem atração por pessoas de todos os gêneros, enquanto o N representa pessoas Não-binárias, que não se consideram somente, completamente e sempre apenas homens ou apenas mulheres.

Profissionais diversos no mercado de trabalho

Infelizmente, ainda lidamos com diversos acontecimentos relacionados à homofobia e intolerância em situações cotidianas, principalmente dentro do ambiente corporativo. Precisamos mudar essa cultura voltada para oprimir a diversidade sexual de forma urgente, trazendo mais informações para aqueles que necessitam e também para mostrar a importância de obtermos um ambiente mais inclusivo.

Por ora, podemos notar a evolução de grande parte das companhias ao implementar campanhas de conscientização, além de programas pautados na diversidade em busca de ampliar o espaço desses profissionais que merecem todo o respeito, afinal, a orientação sexual não afeta em absolutamente nada o dia a dia do coleguinha de trabalho ao lado, não é mesmo? 😉

Orgulho da nossa equipe diversa

Aqui na Hprojekt somos a favor do amor em sua pluralidade. Por isso, temos espaço para todos e queremos que se sintam representados e acolhidos em todas as áreas da empresa. Pensando nisso, trouxemos alguns depoimentos bem legais de membros da nossa equipe sobre conscientização e respeito no ambiente corporativo. Confira:

Já presenciei diversas situações de homofobia em outras experiências de trabalho (além de espaços na vida pessoal) e só quem já viveu isso na pele, sabe como essas situações te atingem, mesmo que não seja fisicamente. 

É por esse e outros motivos, que hoje tenho tanto orgulho de fazer parte do time Hprojekt, um ambiente sem distinção por orientação sexual, etnia ou cultura. E não é apenas uma questão de respeito mas também de valorização da Diversidade.”

  • Leandro Lomeu, Head de Marketing

Eu não esperava trabalhar com Customer Success, mas esse universo me transformou e me fez ser uma agente de mudanças, tanto da minha vida, como na de tantas outras pessoas que passaram pelo meu caminho. Como mulher lésbica, ser e existir no ambiente de trabalho é uma questão de representatividade e eu tenho o privilégio de ser aceita e abrir tantas portas”.

  • Heloisa Ribeiro, Analista de Customer Experience

Sentir-se em casa e conectado em um local onde passamos grande parte de nossas vidas é essencial. Precisamos da mudança de mindset nos diversos níveis das organizações e que todos levantem a bandeira da diversidade com orgulho. A Hprojekt possui isso em sua essência. #Beproud”

  • Rafael Vivo, Head de Customer Experience

Eu sempre sonhei em me encontrar no meu trabalho e poder realizar tal feito sem abrir mão de quem eu sou. Realmente, era um desafio diário, até encontrar na Hprojekt um lar. Um lugar repleto de pessoas maravilhosas que me acolheram e me incentivaram a resistir para existir, tal qual eu me enxergo e me sinto bem!”

  • Laura Silveira, Consultora de Recrutamento & Seleção

O mês de junho é voltado para a celebração da diversidade e luta a favor da comunidade LGBTQIAPN+.

Minha experiência no Grupo Hprojekt é de grande valia, pois aqui sou o Victor humano que defende tudo e todos. E acima disso, prezo pelo respeito para ser respeitado. Aqui posso me expressar e realizar meu trabalho de forma espontânea, sem sofrer qualquer tipo de preconceito ou ser rotulado.

Um fator motivacional é que abordamos fortemente esse tema e cada vez mais estamos em busca de realizar essa inclusão na empresa e sociedade em geral. Juntos somos mais fortes e aqui tornamos realidade!

  • Victor Lofrano, Consultor de Recrutamento & Seleção

Gostou? Então envie esse artigo para seus amigos, colegas de trabalho e gestores. Juntos podemos transformar não só o ambiente corporativo, mas também o nosso dia a dia em um mundo mais diverso com o respeito que todos devem e merecem ter! 🙂

Confira algumas dicas para se sair bem nas entrevistas

Ao se candidatar para um processo seletivo, sabemos que o primeiro passo para conseguir se destacar é elaborar um bom currículo (e nós já comentamos aqui no blog algumas dicas para incrementar o seu. Se quiser conferir, basta clicar aqui). Mas, após o currículo ser selecionado e ser convidado a participar de um processo seletivo presencial, você sabe como agir?

A fase do processo seletivo é muito importante para que a empresa saiba mais a respeito do candidato, verificando se o perfil se encaixa com o fit cultural da empresa e entenda se faz sentido contratá-lo para fazer parte da equipe. Além disso, é nesse momento que são avaliadas diversas competências, como a capacidade de trazer respostas práticas e objetivas em um curto período durante a entrevista individual, ou a habilidade para trabalhar em grupo, ao serem realizadas dinâmicas. 

Mas além disso, existem algumas “regrinhas” que devem ser levadas em consideração ao participar de um processo seletivo presencial e que podem te ajudar a conquistar aquela tão sonhada vaga. Quer saber mais a respeito? Então fique ligado(a) no conteúdo a seguir!

Chegue no horário certo

Dizem que a primeira impressão é a que fica. Sabemos que imprevistos podem acontecer, mas eles também podem muitas vezes ser evitados quando nos preparamos previamente. Sendo assim, se a sua entrevista está agendada para às 14h, por exemplo, programe-se para sair de casa bem antes, de forma que caso algum problema ocorra pelo caminho, seja possível resolver e chegar a tempo. E quando nos referimos “a tempo”, vale ressaltar que nesse caso, seria pelo menos 20 minutos antes do horário combinado. 

Escolha um traje adequado

Os códigos de vestimenta de cada empresa podem variar muito. Se você vai fazer uma entrevista para uma empresa de advocacia, por exemplo, precisa usar trajes muito mais formais do que alguém que está buscando emprego em uma agência de publicidade. 

Aqui, o que vale é o bom senso: utilize roupas que imprimam a sua personalidade, mas que tenham a ver com a cultura da empresa. Evite calçados abertos, roupas justas, shorts e/ou bermudas. Usar bonés ou chapéus também está fora de cogitação. Nesse caso, o menos é mais. O que precisamos nesse momento é chamar a atenção para o seu potencial e não para as suas roupas. 

Estude a empresa

Quer algo mais motivador do que contratar alguém que saiba informações relevantes sobre a companhia e que demonstre interesse em fazer parte do time? Pois bem, os gestores da empresa também pensam dessa forma. Por isso é importante estudar sobre a organização de forma que você entenda mais sobre ela e tenha respostas objetivas quando perguntado sobre a razão pela qual você quer fazer parte. 

Enquanto aguarda, pegue leve no uso de aparelhos eletrônicos

Seja enquanto tomamos café, na sala de espera do dentista ou até mesmo quando não estamos fazendo nada, o nosso celular é uma distração poderosa. E enquanto aguardamos uma entrevista de emprego não seria diferente, certo? Depende. Você pode sim, mexer no celular enquanto espera, porém com parcimônia. 

Evite assistir vídeos em volume alto e não utilize fones de ouvido, afinal, alguém pode te chamar e você nem perceber por estar muito entretido no celular. Sendo assim, é válido aproveitar esse período de espera para estudar um pouco mais sobre a empresa ou até mesmo guardar o celular no bolso e observar a movimentação ao seu redor. Quem sabe isso também não te ajuda durante a entrevista?

Sua postura fala sobre você

Sabemos que a tensão faz parte do momento da entrevista. Mas tente se mostrar confiante! Uma boa postura e expressão de atenção mostram que você está realmente empenhado em integrar a equipe e passam uma imagem mais disposta. Se achar complicado saber a postura ideal entre o “à vontade” e a “postura de tensão”, tente treinar previamente em casa. Isso pode te ajudar bastante.

Demonstre segurança ao se comunicar

Além da postura, o diálogo é sempre muito observado durante os processos seletivos. Por isso, evite usar gírias e falas muito informais. Não significa que você precisa ser 100% formal, mas é preciso saber diferenciar uma conversa com gestores de uma empresa do que uma conversa cotidiana com os amigos, por exemplo. 

Prepare-se para diferentes tipos de perguntas

Cada processo seletivo é diferente do outro. Sendo assim, não podemos prever quais atividades ou quais perguntas serão realizadas. Porém, existem algumas questões que podem ser consideradas padrão nesse tipo de entrevista. Perguntas sobre seus planos a longo prazo, ou o que você faria durante uma situação conflitante são comuns, então esteja preparado para responder questões do tipo. Quanto mais claro e objetiva for sua resposta, melhor.

Mostre que você sabe trabalhar em grupo

Para uma empresa crescer, é preciso que todos os profissionais que fazem parte dela estejam alinhados em busca do mesmo objetivo. Por isso, é muito importante mostrar suas habilidades trabalhando em equipe, principalmente quando durante o processo seletivo há dinâmicas em grupo. O profissional capaz de se comunicar bem e realizar atividades em conjunto sempre se destaca, então não pense em agir individualmente, ok? Trabalhe com os colegas da dinâmica! 

Curtiu as nossas dicas? Então aproveite e envie para algum amigo(a) que está em busca de emprego. Assim, quando ele(a) for aprovado(a) na próxima entrevista, terá todas as dicas necessárias para garantir a vaga dos sonhos!

E se você está buscando uma oportunidade no mercado de trabalho, não deixe de conferir as vagas disponíveis no site da Newik e se candidatar.

Esperamos por você, boa sorte! 🙂

Confira mais detalhes sobre essa profissão que está em alta no mercado

Na semana passada, trouxemos em um dos nossos artigos mais detalhes sobre o que faz um desenvolvedor front-end, além do que é preciso para se tornar um bom profissional nesse nicho. Hoje, prosseguindo com o tema, vamos seguir falando dos devs, mas agora sobre os desenvolvedores back-end.

Em um mundo cada vez mais virtual, onde praticamente tudo é feito pela internet, os desenvolvedores se tornaram profissionais altamente disputados no mercado, com direito a altos salários e perspectivas de crescimento dentro das companhias. 

Estima-se que, somente no ano de 2020, a procura por profissionais do segmento tenha crescido mais da metade, já que boa parte das empresas começaram a investir pesado em seus portais e plataformas para sustentar as vendas mesmo no período de pandemia. E essa movimentação continua esse ano, uma excelente oportunidade para quem quer apostar na carreira de desenvolvedor.

Mas você sabe a diferença entre o profissional front-end e o de back-end? Enquanto o front-end é responsável por cuidar da interface de sites e aplicativos, por exemplo, o back-end cuida dos “bastidores”, ou seja, das demandas internas de programação e códigos para que o usuário possa ter uma experiência ágil e satisfatória. 

Quer entender um pouco mais sobre a rotina do desenvolvedor back-end? Então fique atento que vamos dar todos os detalhes sobre essa função e mais: vamos mostrar tudo o que você precisa saber para se tornar um desenvolvedor back-end! Confira a seguir!

Quais são as funções do desenvolvedor back-end?

O dev back-end é responsável por cuidar da parte de planejamento, construção e implementação de um desenvolvimento de software, trabalhando de forma que mantenha toda a estrutura funcionando da maneira correta. Sem ele, não é possível um site e/ou o sistema rodar, já que ele é quem faz com exista uma integração entre os servidores.

Trabalhando diretamente com ferramentas importantes, é preciso ter conhecimento de diferentes tecnologias de dados. Isso porque todo aquele processo que estamos acostumados a fazer em um clique – como pesquisar informações em sites de busca, ler artigos, fazer login ou até mesmo comprar algo pela internet – necessita do trabalho do desenvolvedor. 

Podemos dizer que ele faz uma espécie de conexão. Isso porque os códigos gerados pelo desenvolvedor serão os responsáveis por comunicar as informações presentes do banco de dados para o navegador.

Qual é a área de formação para trabalhar nessa área?

Os cursos de ciência da computação e tecnologia da informação costumam ser uma excelente base para quem deseja se tornar um desenvolvedor. Porém, é interessante realizar alguns cursos extracurriculares para aprender um pouco mais a respeito de programações específicas que a área exige.

Um bom exemplo é a necessidade de entender algumas linguagens específicas, como HTML, CSS, JavaScript, Python, Ruby e PHP; ter conhecimento de servidores, como DNS, FTS e Proxy; alta compreensão de escalabilidade e APIs. Isso muitas vezes não é abordado a fundo nos cursos de graduação voltados para a tecnologia, então vale a pena se dedicar em cursos extras e também buscando conhecimento por meio de conteúdos e vídeos online para se especializar. 

Quais as habilidades esperadas desse profissional?

O desenvolvedor back-end precisa, impreterivelmente, ter conhecimento de linguagens de programação. Não é preciso conhecer todas, porém é necessário entender a respeito da programação utilizada na empresa da qual ele vai trabalhar. Por isso, é válido buscar entender um pouco mais sobre as mais utilizadas pelo mercado na atualidade, mesmo que de maneira mais superficial e depois focar em se aprofundar na utilizada pela companhia.

Também é preciso ter capacidade de gerenciar bancos de dados e administrar servidores, ter habilidade com a infraestrutura de TI de maneira geral, conhecimento de UX (experiência do usuário) e UI (interface do usuário), alta compreensão de acessibilidade e segurança virtuais (algo muito importante principalmente por conta da LGPD) e boa comunicação, para conseguir trabalhar em conjunto com o desenvolvedor front-end.

Qual é a média salarial de um desenvolvedor back-end?

Conforme citamos anteriormente, trata-se de uma área bastante disputada no mercado de trabalho, porém com poucos profissionais altamente qualificados. Se você ingressar no mercado e se especializar como um grande dev back-end, os salários de um profissional pleno podem variar entre R$3.500 e R$6.500, enquanto o profissional senior pode ter ganhos a partir de R$12 mil. Um salário bastante interessante, não acha? 😉

A Hub42, sempre atenta a esse mercado, trabalha exclusivamente com profissionais da área tech. O maior objetivo da nossa equipe é se tornar um eixo entre talentos e sonhos, caminhando cada vez mais para o crescimento do mercado de inovação. Você pode saber um pouco mais sobre nosso trabalho clicando aqui

Gostou desse conteúdo? Então curta, compartilhe e/ou encaminhe para um amigo que você acredita que possa ser ajudado com esse artigo! 🙂

A tendência do home office segue crescendo

Em março do ano passado, a pandemia causada pelo novo coronavírus mudou totalmente a rotina de muitas pessoas no mundo inteiro. Com todas as determinações impostas pelas organizações, a rotina de acordar bem cedo, pegar transporte público ou encarar o trânsito dentro do carro, levar horas até chegar ao trabalho e repetir o processo no final do expediente deu lugar a novas regras de distanciamento.

Ou seja: o ambiente corporativo deu lugar a um escritório muitas vezes improvisado dentro de casa, em uma escrivaninha no quarto ou na mesa da sala de jantar. Os colegas que estavam presentes no dia a dia e também nos almoços, hoje só se veem por videoconferência. 

O que pensamos ser apenas uma fase, infelizmente se estendeu. Atualmente, completamos 1 ano e 3 meses de pandemia, seguindo o distanciamento social, utilizando máscaras e evitando qualquer tipo de ambiente que possa causar algum tipo de aglomeração. 

Por conta disso, muitas coisas em nossas vidas mudaram de maneira bastante significativa. As compras passaram a ser online, os encontros com os amigos são feitos via chamada de vídeo e o trabalho… bem, esse segue a todo vapor, porém dentro de nossas casas. E sabemos que essa modalidade home office ao mesmo tempo que agrada diversos profissionais, em contrapartida desagrada muitos outros.

O trabalho remoto

A rotina de trabalho remoto teve início bem antes da pandemia. Algumas grandes empresas já eram adeptas do trabalho híbrido, permitindo que seus colaboradores trabalhassem de uma a duas vezes por semana em casa ou em qualquer outro local, desde que cumprissem o horário de trabalho e as tarefas estipuladas. 

De híbrido, tornou-se 100% remoto a partir de março de 2020 e desde então, muitas companhias afirmam que pretendem seguir na modalidade home office, já que de acordo com uma pesquisa publicada pelo UOL Economia, cerca de 35,6% dos profissionais acreditam que o trabalho remoto faz com que eles se tornem mais produtivos em comparação com o regime presencial. 

Diversas empresas do setor de tecnologia endossam essa teoria e oferecem vagas 100% remotas, já que acreditam que, mesmo em um mundo pós-pandemia, o home office permite maior flexibilidade tanto para a vida profissional, como na pessoal dos colaboradores. 

Uma situação boa extraída de uma fase ruim 

Certamente, ninguém esperava viver em um cenário como o de 2020 e que perdura até hoje. Somos diariamente bombardeados com notícias delicadas e que muitas vezes podem nos deprimir. Porém, não podemos negar que a mudança extrema de estilo de vida nos fez mais próximos de nossas famílias, dos animais de estimação e nos permitiu valorizar pequenas coisas dentro de nossas casas.

Com isso, diversas empresas notaram que, além do aumento da produtividade, os colaboradores sentiram que era possível conciliar o trabalho com rotinas pessoais com maior facilidade, sendo algo benéfico para ambos os lados. Afinal, o trabalho remoto permite que a pessoa exerça suas atividades de qualquer lugar. 

Ou seja, se ela decidir se mudar para a praia de maneira definitiva, basta um bom computador com acesso a internet. Não é à toa que grande parte das pousadas e casas de aluguel para temporada estão investindo ativamente em uma boa conexão de internet. Isso é facilmente explicado pelo fluxo intenso de pessoas interessadas em trabalhar diretamente de um local mais tranquilo e longe das grandes cidades.

Aplicando na prática

Para os colaboradores que afirmam gostar de trabalhar de forma remota, as vantagens mais citadas são, além da flexibilidade já citada anteriormente, a economia de tempo que era gasta em transporte, economia de combustível e também com alimentação.

Muitos afirmam que o tempo que gastavam no transporte, por exemplo, fora substituído pela prática de exercícios físicos, em um tempo maior para os filhos ou até mesmo organizando as refeições da semana. Se somarmos a média de um cidadão de São Paulo, que costuma levar cerca de 1h30 em cada trajeto do dia, são 15 horas a mais para fazer o que bem entender durante a semana, que antes era perdido no trânsito. Impressionante, não?

As desvantagens em certos setores

Mas é claro que, na prática, devemos lembrar de que o home office não é possível para todas as atividades, infelizmente. Setores industriais, de saúde, transporte e alimentação, por exemplo, não possuem essa mesma alternativa, a não ser quando nos referimos aos setores administrativos dessas empresas. 

Sendo assim, os líderes das empresas devem analisar, em conjunto com seus colaboradores, se sua área de atuação é viável para a prática de home office ou não. O trabalho remoto é interessante, mas precisa funcionar em sua totalidade. E sabemos que em alguns casos, isso não é possível.

Mas, afinal: o trabalho remoto funciona ou não funciona?

Em casos em que é possível aplicar toda a rotina de trabalho de maneira remota, podemos dizer que sim, o home office funciona. Mas é preciso se atentar na forma que ele será aplicado. A empresa disponibiliza os equipamentos eletrônicos necessários? Disponibiliza cadeiras confortáveis e materiais de escritório? Os horários são respeitados? Essas são algumas questões que podem (e devem) ser esclarecidas entre a empresa e o colaborador.

O trabalho remoto está se tornando, sim, o novo normal. São poucas as pessoas que se sentem confortáveis em voltar para o modelo 100% presencial. O modelo híbrido é discutível e o totalmente remoto é a escolha da vez. E as empresas precisam se adaptar. Seja nos processos, na disponibilização de materiais de trabalho e até mesmo na flexibilidade de agendas, de forma que todos consigam se comunicar, tudo pode ser feito de casa. Só depende do esforço mútuo.

E você, busca um novo trabalho em regime home office? 

A Hprojekt possui diversas oportunidades em seu portal de vagas para trabalhos remotos. Ficou interessado(a)? Então acesse clicando aqui e candidate-se agora mesmo!

Confira algumas dicas valiosas para garantir sua vaga dos sonhos

Ingressar no mercado de trabalho é um dos momentos mais importantes da vida de um jovem que está começando a carreira profissional. Seja no primeiro período ou na fase final da faculdade, trata-se de um período essencial de aprendizado e também de evolução, tanto pessoal quanto profissionalmente. 

O período pandêmico, do qual estamos vivendo agora, trouxe um cenário um pouco mais complexo para os jovens estudantes. Além das aulas presenciais sendo substituídas por conteúdos online, as formas nas quais as oportunidades de estágio estão sendo abordadas também sofreram mudanças. Com vagas para estágios 100% remotos, híbridos ou até mesmo presenciais em um mundo pós-pandemia, é preciso estar preparado(a) para todas essas alternativas.

Afinal, para exercer nossa área de formação, devemos ir além do conteúdo passado em aula. A vivência é extremamente importante para que o aluno compreenda ainda mais o que lhe foi ensinado na faculdade, para que assim possa aplicá-lo de maneira realmente efetiva em seu trabalho no futuro. Mas para isso, é preciso começar.

Hoje, vamos falar sobre a saga do primeiro emprego e quais são as melhores dicas para que você possa se preparar para uma entrevista de estágio tranquila, com a garantia de ser aprovado no processo seletivo. Se interessou pelo assunto? É o momento que você está vivendo atualmente? Então fique ligado e continue com a gente!  

Como começo a procurar meu primeiro emprego?

Primeiramente, esteja atento às oportunidades. Tenha um perfil no LinkedIn contendo todas as informações necessárias para que você possa ser visto e principalmente, encontrado pelos recrutadores. 

Informe sua faculdade, o ano de início e o ano previsto para o término da graduação, quais idiomas você possui fluência, além de acrescentar os cursos extracurriculares que você já fez, trabalhos voluntários, prêmios da faculdade, entre outros itens que te ajudam a trazer relevância para ser notado.

Tenha um bom currículo

“Mesmo que eu não tenha experiência, eu devo fazer um currículo?” Sim! Isso porque os recrutadores precisam ter uma base sobre todas as suas vivências, mesmo que essa seja a sua primeira experiência profissional. Assim como o LinkedIn, vale citar em detalhes a área de formação, os cursos extras, prêmios, idiomas e seu contato, caso o recrutador queira entrar em contato.

Vale ressaltar que um bom currículo não precisa ser enorme – e na verdade, nem deve ser. Mesmo com pessoas experientes, o ideal é que ele não passe de duas páginas. No caso do primeiro emprego, uma folha sucinta, porém bem explicada e organizada, faz toda a diferença. 

Uma dica interessante para quem deseja incrementar o visual do currículo é acessar sites que disponibilizam modelos prontos, como o Canva. São várias opções e modelos gratuitos que ajudam a mostrar para os recrutadores que você “caprichou” e se empenhou para enviar seu currículo para eles. 

Aprenda sobre a empresa

Se você passou pelas etapas anteriores e foi chamado para uma entrevista, seja ela online ou presencial, aproveite o tempo que antecede a conversa para aprender um pouco mais sobre a companhia. Isso lhe trará mais confiança na hora de conversar com o recrutador e também te ajuda a ganhar pontos, já que mostra o seu interesse em fazer parte daquela equipe.

Pesquise conteúdos sobre a organização no LinkedIn, Google, no site da própria empresa ou até mesmo dando uma checada nas redes sociais dos colaboradores. Toda pesquisa é válida para extrair mais informações e trazer boas respostas durante a entrevista.

Não tenha medo de fazer perguntas

Apesar da maioria das pessoas pensar o contrário, a entrevista pode sim, ser o momento em que o candidato pode fazer algumas perguntas sobre a empresa e também a respeito da vaga (com perguntas pertinentes, é claro). Até porque é interessante demonstrar também esse tipo de interesse para entender mais sobre o que a empresa espera daquele candidato durante o estágio. Ou seja: não tenha medo de perguntar!

Demonstre interesse em se aperfeiçoar

Além da faculdade, é interessante mostrar que você está disposto(a) a agregar ainda mais conhecimento em sua área de formação. Por isso, mostre-se atento às tendências do mercado (ler portais de notícias e páginas voltadas para o mercado de trabalho faz toda a diferença!) e traga ideias daquilo que você acredita ser interessante para melhorar ainda mais os processos da companhia.

O estagiário é MUITO importante para o avanço da empresa

Você, na condição de estudante e candidato a uma vaga de estágio deve entender que, ao contrário do que muitos dizem, o estagiário é essencial para o progresso da empresa. Suas atividades são importantes e tem relevância para otimizar os processos tanto internos como externos. O trabalho realizado muitas vezes é a base para evoluir ainda mais outros produtos e serviços da companhia.

Sendo assim, entenda que você é importante sim e tem muito valor para a empresa da qual fará parte. Traga ideias, compartilhe conhecimento, pergunte, sinta vontade de ajudar e de evoluir! A experiência que o estágio traz é enriquecedora e com certeza será um dos grandes responsáveis por moldar o profissional que você será no futuro! 

Além disso, são inúmeras as histórias de pessoas que começaram estagiando em grandes empresas e hoje encontram-se em cargos de prestígio nas companhias, trabalhando na área de liderança. E por que não começar tentando desde já? 

A Newik possui diversos programas de estágio e trainee para os jovens que buscam o seu primeiro emprego. Temos certeza de que você irá encontrar a oportunidade dos seus sonhos! Para conferir as vagas disponíveis, clique aqui 😉

EN PT ES